ABIMCI - Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente

Estrutura do Programa

Para definir as políticas e estratégias do Programa, bem como para assegurar independência das atividades de certificação e da credibilidade do processo, foi criado o Conselho Nacional de Qualidade da Madeira – CNQM. Os estatutos do Conselho estabelecem que o mesmo é totalmente independente e que seus membros são escolhidos entre as partes interessadas no assunto. O Conselho é constituído por representantes dos seguintes grupos:

  •   produtores;
  •   agentes da cadeia de comercialização e distribuição;
  •   associação de consumidores;
  •   universidades e institutos de pesquisa;
  •   fornecedores de insumos.

As responsabilidades do Conselho são estabelecidas em estatuto e incluem:

  •  definir as diretrizes ao Programa Nacional de Qualidade da Madeira;
  • coordenar o trabalho relacionado com a definição e estabelecimento de padrões técnicos e procedimentos de qualidade relativos ao processo de produção dos produtos a serem certificados;
  • definir os critérios de certificação de produtores e fornecedores;
  • selecionar e qualificar auditores de qualidade;
  • aprovar os relatórios de auditoria e emitir os certificados de qualidade;
  • decidir no caso de queixa de consumidores e reclamações.

Para implementar as diretrizes e decisões emanadas do CNQM, bem como para coordenar toda a operação do Programa, foi criada uma Secretaria Executiva, que conta com o apoio de departamentos técnicos e consultores independentes.

As auditorias de certificação são executadas por Auditores Externos, independentes, selecionados pelo Conselho com base em critérios que incluem uma análise de sua qualificação técnica e experiência.

Os auditores externos, credenciados pelo CNQM, são instruídos e treinados quanto às suas responsabilidades perante o Programa e quanto aos parâmetros, critérios, requisitos e procedimentos estabelecidos para a condução das Auditorias de Certificação.

O Programa é financeiramente sustentado pelos produtores envolvidos, fornecedores de insumos e outras entidades interessadas em cooperar. Os recursos são alocados em fundos específicos, quais sejam:

  • fundo de administração;
  • fundo de divulgação e promoção;
  • fundo de assistência técnica e desenvolvimento;
  • fundo de reclamações.
Voltar ao topo