ABIMCI - Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente

Programas e Certificações

No final dos anos 90 com resultado das pressões de mercado nacionais e internacionais, a ABIMCI definiu uma estratégia, desenvolveu e implantou um programa de qualidade nacional para produtos de madeira. O objetivo era disponibilizar ao mercado produtos com especificações conhecidas e fabricados dentro de parâmetros controlados. Assim surgiu o PNQM (Programa Nacional de Qualidade da madeira).

Inicialmente ele foi direcionado ao compensado de madeira de pinus, que era de baixa qualidade e estava perdendo mercado. Ao mesmo tempo identificavam-se riscos potenciais relacionados ao desenvolvimento de exigências técnicas, principalmente barreiras internacionais, que poderiam restringir a comercialização. Os associados da ABIMCI reagiram e, de uma iniciativa totalmente privada, partiu um investimento de 2,5 milhões de dólares resultando na certificação do processo.

O sucesso do programa e o crescimento das exigências de mercado estimularam a expansão e atualmente ele engloba empresas de compensado de madeira de pinus, de madeira tropical e portas e, em fase de desenvolvimento, para madeira serrada, pisos e produtos de maior valor agregado.

Os participantes do programa possuem um maior controle do processo produtivo, ganhando com produtividade e redução de perdas e custos, além de garantirem acesso aos principais mercados.

A outra exigência se refere à certificação dos produtos com selo CE, direcionado tanto para produtos não estruturais como para estruturais. A diretiva dos produtos para a construção civil (regulamentação CPR – EU nr. 305/2011, publicada em abril de 2011), passa a vigorar definitivamente em julho de 2013, quando só poderão entrar o mercado comum europeu produtos que apresentem a certificação de conformidade técnica CE.

A ABIMCI, por meio do PNQM (Programa Nacional de Qualidade da Madeira) e da certificadora Inglesa BM Trada, certifica produtos como compensando, portas e madeira serrada, garantindo assim o acesso ao principal mercado mundial para os produtos brasileiros.

Voltar ao topo